18/02/2011

Viro outra vez aquilo que sou todo dia: fechada, sozinha, perdida no meu quarto, longe da roda e de tudo: uma criança assustada.
Caio Fernando Abreu

Nenhum comentário:

Postar um comentário